2022
Memórias de uma faxineira
[A ser publicado]

Uma narrativa intensa de uma mulher nordestina de trajetória ímpar: da sua infância feliz na região do semiárido baiano em Paulo Afonso até que ela se estabelecesse na cidade alemã de Freiburg, no início dos anos 1990. Marcada por uma relação profunda e solitária com seus ancestrais [e bastante conflituosa com os seus parentes], mas sempre buscando sua independência financeira e emocional, a autora se desnuda ao relatar como enfrenta até hoje o preconceito da sociedade diante de sua autoafirmação como faxineira na Alemanha e governanta de uma família na Suíça. Além disso, há um forte relato sobre a violência doméstica que a autora sofreu durante a relação opressora do seu primeiro casamento. Para a autora, este livro representa mais do que ser dona de sua própria voz, expressa pela palavra, urgência surgida no primeiro ano da pandemia da Covid-19. Trata-se de uma declaração de amor à condição feminina neste século, uma forma legítima e, ao mesmo tempo, esperançosa de confrontar um mundo em transe que anacronicamente parece destinado ao retrocesso. 


2021
Também assinando como Ghost Writer, nesta autobiografia o texto precisou ser reescrito porque o cliente interrompeu o projeto com o outro GW contratado inicialmente. Além da reescrita, houve completa reformulação na estrutura dos capítulos, com inclusão de um capítulo final e assessoria literária que envolveu revisão da diagramação, criação do texto para a orelha, aconselhamento sobre as fotos utilizadas e também sobre a capa.
2020
Neste romance, a contribuição foi como Ghost Writer, além de prestar assessoria literária até a publicação, criando uma bio para o pseudônimo e a orelha do livro. A partir de uma série de entrevistas com o contratante e com os seus pais, o livro foi escrito de acordo com o que foi vivenciado por ele, porém utilizando elementos de ficção para tornar o projeto mais criativo e interessante para os leitores.
2019​​​​​​​
Também um livro de crônicas a participação foi assinando como editor. Ao longo da criação do livro, houve um diálogo franco com o autor visando o melhor resultado para a publicação. Sugestões na ordem das crônicas, validação de texto e acompanhamento até o dia da publicação foram algumas das principais contribuições para o projeto.​​​​​​​
2018
Neste livro de crônicas, a atuação foi como editor, selecionando os melhores textos a partir de 400 páginas dos originais e apontando criticamente os trechos que deveriam ser reescritos. Muita coisa foi descartada para que a publicação reunisse as melhores crônicas, fazendo com que o livro tivesse coesão, fluidez e uma linha editorial consistente.